Rumo à universalização do esgotamento sanitário de Niterói

Rumo à universalização do esgotamento sanitário de Niterói

Município está em primeiro lugar em saneamento básico no Estado do Rio

A Águas de Niterói, em parceria com a Prefeitura de Niterói, dará início, em outubro, à construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Sapê. Com previsão de conclusão para o fim de 2018, a unidade será a nona da cidade, terá capacidade para tratar 63 litros por segundo e atenderá até 30 mil pessoas nos bairros Sapê, Ititioca, Santa Bárbara e Caramujo.

Com um investimento total de aproximadamente R$ 34 milhões, a obra também contemplará a implantação de cerca de 40 mil metros de rede coletora de esgoto e a construção de mais de cinco mil linhas de recalque (tubulações) e 35 elevatórias (equipamento que bombeia o efluente até a ETE).

De acordo com o superintendente da Águas de Niterói, Nelson Gomes, esse investimento faz parte do projeto de universalização do esgotamento sanitário em Niterói.

“A região de Pendotiba já foi contemplada em dezembro de 2015 com a primeira ETE construída em Maria Paula. Agora, o próximo passo é a construção da ETE Sapê. Lembrando que ainda está prevista a implantação da ETE Badu”, afirma.

O secretário executivo de governo, Axel Grael, destaca que o município vem ampliando as redes coletoras e de tratamento de esgoto.

“Esse tipo de iniciativa, junto com projetos como o Se Liga, reflete diretamente na saúde dos moradores de Niterói. A cidade se torna, cada vez mais, modelo de saneamento”, enfatiza.

Para a secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa, reforça que a construção da ETE do Sapê é um passo muito importante para universalizar o serviço de saneamento básico. “Com a estação e a rede de tratamento de esgoto, vamos melhorar a saúde da população”, finaliza.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Please copy the string gNacKK to the field below: