News

Técnicos da ANA visitam SESAMM em Mogi Mirim para coleta de dados do Atlas despoluição

Posted on 6/Jun/2014 | 0 comments

(Foto: Giuliana Talamini, Sindcon, Grace B. Matos, ANA, Patrícia Mistura, Sindcon e Carlos Roberto Ferreira, SESAMM) A SESAMM – Serviços de Saneamento Básico de Mogi Mirim, recebeu no dia 03 de junho, a visita da equipe da ANA – Agência Nacional de Águas, consultores da Cobrape – Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos, equipe técnica do Sindcon, além de representantes do SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Mogi Mirim, para entrega de dados da concessionária, para compor o Atlas Brasil de Despoluição das Bacias Hidrográficas: Tratamento de Esgotos Urbanos, trabalho coordenado pela ANA, cujo objetivo é analisar os sistemas de esgotamento sanitário de todas as sedes municipais do país e a proposição de ações em obras de coleta e tratamento de esgotos com foco na proteção dos recursos hídricos, no seu uso sustentável para diluição dos efluentes e na racionalização dos investimentos. O referido estudo é uma parceria da ANA, do Ministério das Cidades e do Banco Mundial no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Setor Água – Interáguas. O engenheiro Carlos Roberto Ferreira, presidente da Sesamm, recebeu os convidados com breve apresentação da empresa, seguida da entrega dos dados de diagnóstico das condições de atendimento por coleta e tratamento de esgotos no município de Mogi Mirim, onde opera. Os dados relativos aos serviços de captação, tratamento e distribuição de água, ficaram a cargo do SAAE, visto que a concessão privada do município tem caráter parcial. Com os dados em mãos, Grace Benfica Matos, especialista em recursos hídricos da ANA, detalhou o projeto em conjunto com consultores da Cobrape, empresa contratada para execução do Atlas Despoluição. A participação do Sindcon tem função de facilitar o levantamento de dados das empresas privadas afiliadas. Após a reunião de alinhamento e entrega de dados, Carlos Roberto acompanhou os presentes a uma visita detalhada na ETE – Estação de Tratamento de Esgoto com tratamento por lodos ativados dotada de um sistema de aeração tipo Orbal, um diferencial técnico e único no Brasil, com características inovadoras de aeração, possibilitando a redução significativa do consumo energético, além de alto grau de eliminação da carga orgânica. ” Hoje dos 100% dos esgotos coletados, 65% são tratados e devolvidos ao meio ambiente com eficiência acima de 98%”, comenta Carlos Roberto. A Sesamm concessionária controlada pela GS INIMA BRASIL completou seu segundo ano de operação no município de Mogi Mirim e já investiu cerca de R$ 54...

read more

Presidente do Sindcon opina sobre falta d´água

Posted on 6/Jun/2014 | 0 comments

(DCI) Para o presidente do Sindicato Nacional das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto (Sindcon), Giuliano Dragone, muito além de medidas paliativas de consumo e tecnologia, a falta de água só será resolvida com mais investimentos e parcerias com a iniciativa privada. “Por mais que as condições climáticas tenham sido severas neste início de ano, é evidente que a falta d´água não é um problema pontual. O risco de voltarmos a ter um período de seca é iminente. Pior, o consumo aumenta e as precipitações pluviométricas ficam a cada ano abaixo do esperado; dessa forma, a situação tende a deixar de ser esporádica para se tornar uma realidade”, disse. De acordo com números da entidade, as perdas são hoje o principal problema de gestão das empresas de saneamento. Do total da água produzida no País, 40% é perdido ao longo do processo. Em São Paulo, a média de perdas já está em torno de 24,7% (neste valor estão desconsiderados os volumes disponibilizados nas áreas de ocupações irregulares e não faturados), e a Sabesp trabalha desde 2009 com a perspectiva de chegar a um índice de 18% até 2020. Para ele é possível dinamizar esse processo a partir de parcerias com a iniciativa privada, que pode diminuir o índice de perdas em ritmo acelerado. Em Limeira (SP), por exemplo, a concessionária de água local, gerida pela iniciativa privada, reduziu o índice de 40% para 17% em quatro anos. Hoje, mais de 32 bilhões de m³ de água potável ainda são perdidos em vazamentos nos sistemas mundiais, enquanto cerca de 16 bilhões de m³ são entregues a usuários sem faturamento. O sindicato apurou ainda que as concessionárias brasileiras de saneamento precisam investir R$ 18,5 bilhões até 2025 para que as perdas de água caiam em 50% e cheguem a um nível aceitável, comparável ao das nações mais desenvolvidas. “Essa redução será possível em um cenário otimista e, diante do alto volume de recursos que precisam ser injetados, a parceria com a iniciativa privada deve ser considerada como parte da solução”, finalizou...

read more

Presidente do Sindcon opina sobre falta d´água

Posted on 6/Jun/2014 | 0 comments

(Extra Alagoas) O esgotamento sanitário de Maceió, que em 2007 atendia 27% da população, chega a 2014 com uma cobertura de 36%. No interior do Estado, o índice, que era de 0,6%, passou para 6,8% nesse mesmo período. “Este avanço, embora ainda não seja o ideal, demonstra que houve melhoria no panorama do saneamento em Alagoas”, afirmou o presidente da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), Álvaro Menezes. Segundo ele, o Estado de Alagoas tem um plano concreto de investimentos para ampliação da cobertura do esgotamento sanitário. A Casal deverá investir R$ 500 milhões por meio de locação de ativos e parcerias público-privada...

read more