Dia Nacional da Falta de Tratamento de Esgoto

Postado em 22/mar/2017

* Alexandre Lopes Instituído pela ONU, o Dia Mundial da Água traz a cada ano, sempre em 22 de março, um princípio para reflexão sobre a preservação de nossos recursos hídricos. O tema oficial em 2017 é “wastewater”. Em português, esgoto. Nada mais oportuno que este assunto seja o foco das atenções no Brasil e no mundo. Segundo a página oficial do Dia Mundial da Água (www.worldwaterday.org), a maior parte do esgoto gerado, seja no âmbito doméstico, industrial ou agrícola, é descartado sem qualquer tratamento na natureza. No Brasil, de acordo com dados do último SNIS – Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, metade da população brasileira continua sem acesso a sistemas de esgotamento sanitário, e apenas 42,67% do esgoto coletado é tratado. Isso significa bilhões de litros de esgoto despejados no meio ambiente, poluindo mananciais e representando uma...

Leia mais

A oportunidade da parceria para universalizar o saneamento

Postado em 30/nov/2016

Por Alexandre Lopes* Essencial para a saúde e de grande impacto sócio-econômico, o saneamento luta há décadas para se tornar uma prioridade no Brasil. Com o fim do antigo Planasa (Plano Nacional de Saneamento), em 1986, o país deixou de ter um projeto nacional para o setor. O resultado foi a estagnação de investimentos e a consequente manutenção de índices altamente insatisfatórios de cobertura em serviços de água de esgoto. Ainda hoje, há 34 milhões de pessoas sem água na torneira, e quase a metade da população não possui coleta de esgoto (o tratamento é ainda mais restrito: apenas um a cada três brasileiros contam com o serviço). A disposição do Governo Federal em capitanear recursos para o setor, por meio do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República – PPI e do BNDES, surge como um...

Leia mais

As contribuições tecnológicas e de gestão da iniciativa privada ao saneamento

Postado em 27/out/2016

Setor de infraestrutura que menos alavancou investimentos nos últimos anos, o saneamento passou a atrair maior interesse de autoridades e da população em geral com o advento da crise hídrica. O colapso vivido pelo Brasil foi uma mostra do que pode vir a acontecer se o país continuar a ignorar os índices alarmantes dos serviços públicos nessa área. Cerca de 34 milhões de pessoas ainda não são atendidas pelo abastecimento de água e, no esgoto, a realidade é triste: quase a metade da população brasileira não possui serviço de coleta de esgoto, e apenas 40% do esgoto gerado é efetivamente tratado. A crise hídrica também evidenciou a necessidade de investirmos em tecnologia e gestão para promover o desenvolvimento econômico sem afetar os recursos hídricos. A iniciativa privada – presente hoje por meio de concessionárias em 316 municípios brasileiros, a...

Leia mais

Cidades Saneadas são o maior legado que o Brasil pode almejar

Postado em 18/ago/2016

Alexandre Ferreira Lopes* O Brasil vive uma intensa movimentação em torno da Olimpíada 2016. Primeira edição desse consagrado evento esportivo a ser realizada na América do Sul, os jogos do Rio de Janeiro geraram grande expectativa sobre quais seriam os legados que a competição nos propiciaria. Melhorar as condições do saneamento da cidade-sede era uma prioridade dos organizadores. Em determinado momento, as autoridades almejaram efetuar o tratamento de 80% do esgoto que chega à Baía da Guanabara. Hoje, com o Rio´2016 em plena disputa, já sabemos que este legado, em particular, não será alcançado tão cedo. O Rio de Janeiro é um dos cartões postais do Brasil, e merecia ter chegado à nossa tão aguardada olimpíada com o status de ‘Cidade Saneada”. Para tanto, seriam necessários não apenas recursos financeiros, mas também priorizar o planejamento e a gestão das...

Leia mais

Saneamento: O futuro já chegou

Postado em 23/ago/2015

* Giuliano Dragone Cenas de escassez de água vividas pela população no ano passado ainda estão vivas em nossa memória. Bastou uma década de planejamento inadequado, falta de investimento e renovação tecnológica para que o Brasil deixasse de ser uma potência hídrica para se tornar, da noite para o dia, um país em que a flagelo da seca se tornou uma realidade, inclusive nas regiões mais desenvolvidas. A exemplo do SINDCON, quem acompanha de perto a atividade de prestar serviços públicos de água e esgoto sabe que a questão da água é muito mais complexa do que parece. A imagem de paraíso que concentra 12% das reservas de água doce do planeta não se sustenta à medida que não gerenciamos de maneira eficaz esse manancial. Ou pior, dilapidamos esses recursos ao não tratar o esgoto que contamina nossos mananciais...

Leia mais

O mundo de olho na crise hídrica brasileira

Postado em 18/maio/2015

Roberto Muniz* Para quem conhece as desventuras de conviver com a estiagem frequente e o sofrimento de uma vida sob restrições do uso da água do povo sertanejo, participar do 7º Fórum Mundial da Água, na Coréia do Sul, foi um valioso aprendizado e aprofundamento de um diagnóstico muito alarmante: a crise hídrica é uma realidade inexorável para a vida no Planeta. Em Daegu e Gyeongju, acompanhamos ao lado da delegação brasileira uma explosão de relatos em que líderes governamentais de dezenas de países, técnicos e pesquisadores confirmaram o cenário de escassez. Os esforços nas últimas décadas de prover água e energia para a população mundial têm sido insuficientes. No futuro, a vida sob o estresse hídrico será uma preocupação permanente. E o Brasil, para espanto de muitos, veio se juntar ao mapa da escassez. A grandiosidade do Fórum...

Leia mais