Plano de saneamento básico é realidade para apenas 30,4% das cidades brasileiras

Postado em 23/ago/2017

Apenas 30,4% das cidades brasileiras têm planos municipais de saneamento básico. É o que aponta um estudo do Instituto Trata Brasil divulgado nesta segunda-feira (21), feito com base em dados do governo federal. Segundo o levantamento da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental, ligada ao Ministério das Cidades, das 5.570 cidades brasileiras, apenas 1.692 (30,4%) declararam ter feito seus planos municipais. Outras 37,5% das cidades estão com os planos em andamento. Além disso, 2% das cidades apresentaram inconsistências nos dados, e não há informações sobre 29,9%. Os planos estão previstos na Lei 11.445 de 2007, conhecida como a Lei do Saneamento Básico. A legislação prevê a universalização dos serviços de abastecimento de água e de tratamento da rede de esgoto no país, sendo que um dos principais pilares é a elaboração de um plano municipal do setor para cada cidade....

Leia mais

2º Prêmio Sustentabilidade escolhe os melhores projetos das concessionárias privadas de saneamento

Postado em 11/ago/2017

O SINDCON (Sindicato Nacional das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto) realizou na noite de ontem (10.08) a entrega do 2º Prêmio Sustentabilidade, dedicado às concessionárias privadas de saneamento, em cerimônia ocorrida no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo. Na categoria Institucional, o projeto vencedor foi o programa Olhar Ambiental, do grupo Águas do Brasil, que reúne várias ferramentas para a sistematização e gerenciamento das ações de educação ambiental desenvolvidas pela companhia, detentora de concessões em diversos estados do país. Em segundo lugar ficou a iniciativa Água Solidária, da concessionária Águas Guariroba, de Campo Grande (MS), que também levou o prêmio de terceiro lugar, por seu projeto Integração Empresa Universidade para Inovação no Saneamento. Na categoria Gestão, o primeiro colocado foi o programa Reúso de Efluente Sanitário Tratado na Manutenção de Rede Coletora de Esgoto,...

Leia mais

Privatização versus municipalização: essa não é a questão

Postado em 9/ago/2017

Muito se tem falado sobre a privatização dos serviços de saneamento no Brasil como sendo um modelo inverso de gestão adotado por outros casos no mundo. Isto porque, alguns estudos afirmam que a remunicipalização dos sistemas de água e esgoto tem tido grande crescimento nos últimos anos. Porém, este conceito não representa a realidade de hoje e mancha a Participação do Setor Privado (PSP) no setor de saneamento, com objetivos idealistas destrutivos e não construtivos. Começo desconstruindo o argumento principal deste artigo: o aumento da remunicipalização. Segundo o GWI (Global Water Inteligence), a população mundial atendida por operadores privados no setor de água e esgoto cresceu de 700 milhões de pessoas para 1 bilhão entre 2006 e 2016. O órgão afirma que os principais motivos para esse crescimento são a restrição dos orçamentos públicos associada à redução de custos,...

Leia mais

Casos de Sucesso: Jundiaí é referência no tratamento dos esgotos

Postado em 28/jul/2017

A situação do saneamento básico no Brasil é preocupante, a carência dessa infraestrutura afeta vários setores da sociedade, desde saúde, economia e, principalmente, o meio ambiente. Mesmo diante desse quadro, devemos também destacar os municípios que são exemplos positivos de gestão em saneamento e investimento de recursos para que, assim, prefeituras sigam em busca de qualidade de vida para a população, como Jundiaí. Se destacando sempre entre as 15 melhores do Ranking do Saneamento do Instituto Trata Brasil, o município de Jundiaí, interior de São Paulo, ano a ano mostra evolução nos indicadores de coleta e tratamento dos esgotos. De acordo com o próprio município, Jundiaí já figurava como uma das cidades mais importantes do saneamento básico desde o século 19. Atualmente, a cidade paulista é referência no tratamento dos esgotos, com 100% tratado e abastecendo 97% da população água tratada. Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento...

Leia mais

CAB Ambiental vira Iguá Saneamento

Postado em 25/jul/2017

A Iguá Saneamento, empresa que nasce da reestruturação da CAB Ambiental com dívida renovada e novo controlador, já planeja investir R$ 2,3 bilhões nas concessões existentes nos próximos sete anos, sendo que uma parte relevante será destinada à concessão de Cuiabá, seu maior ativo. O que garante a realização desse plano é o fechamento, anunciado ontem, do acordo de investimento assinado no fim do ano passado. “A grande mudança é que a companhia volta a acessar o crédito”, disse o presidente da agora Iguá, Otávio Silveira. A mudança de nome coroa a aquisição da empresa pela IG4 Capital, gestora formada por Paulo Mattos, que assume a presidência do conselho da Iguá. “O mercado de saneamento em infraestrutura é a bola da vez”, diz Mattos, que ainda aponta uma mudança no olhar do investimento: “Quando o controlador é uma construtora...

Leia mais

O desafio da escassez de água

Postado em 25/jul/2017

* Eng. Civil Álvaro Menezes – Consultor em saneamento Com 8,5 milhões de Km2 e suas diferenças regionais, o Brasil é sem dúvidas um desafio permanente agravado à medida que crises morais – ou quem sabe imorais – como a do momento, tornam difícil a solução de problemas que dependem de Governos e políticos. Um desses problemas nacionais está no Nordeste onde vive 27,6% da população brasileira, habituada a conviver desde a descoberta do Brasil com a seca em uma área de aproximadamente 983 mil km2 ou 63% da área total da região. A seca é um fenômeno climático que tem suas causas na aridez natural e na ausência cíclica de chuvas por longos períodos, sendo que para o Nordeste, onde só há 3% da disponibilidade hídrica nacional, ela é um fator agravante da escassez hídrica. Este então passa...

Leia mais