ÁREA DO ASSOCIADO

  • Login
  • Jacundá Ambiental é a nova concessão da Aviva Ambiental e Ello Engenharia

    09/08/2019

    A cidade de Jacundá, no estado do Pará acaba de conceder os serviços de água e esgotamento sanitário para o consórcio formado pelas empresas AVIVA Ambiental e ELLO Engenharia, que vai operar por 30 anos e investir R$ 80 milhões, sendo R$ 48 milhões, nos primeiros 10 anos. A ordem de serviço foi assinada dia 08 de agosto de 2019, pelo prefeito Ismael Gonçalves Barbosa e pelo presidente do conselho da Jacundá Ambiental e CEO da AVIVA Alexandre Lopes, numa cerimônia com mais de 600 convidados na sede da Maçonaria do município.

    Atualmente, apenas 30% dos moradores de Jacundá são atendidos com água da rede pública, por isso a nova concessionária tem rígidas metas para reverter essa situação em curtíssimo prazo, levando água para a população jacundaense já no início do próximo ano. As obras relativas aos serviços de esgotamento sanitário, inexistentes atualmente, acontecerão de forma gradativa cumprido os prazos e metas estabelecidos no contrato de concessão, tendo o atendimento de 50% programado para 2027 e 100% em 2040.

    Nos primeiros seis meses, a nova concessionária concluirá as obras de construção do sistema produtor de água tratada que envolvem a captação de água bruta, a Estação de Tratamento de Água (ETA) e a implantação de laboratório de análises, garantindo que a água distribuída obedeça aos mais rigorosos padrões de qualidade. Paralelamente realizará o mapeamento e ampliação das redes de distribuição, implantação de adutoras para que no ano de 2020, toda a população da cidade se beneficie com o abastecimento de água com qualidade e quantidade.

    A Jacundá Ambiental, criada especificamente para operar os serviços de água e esgotamento sanitário no município, priorizará a contratação de mão de obra e parceria com fornecedores locais, apostando no crescimento sustentável da operação, da cidade e da comunidade.

    “A iniciativa do prefeito em conceder os serviços de água e esgotamento sanitário para uma empresa privada, com metas a curto, médio e longo prazos, resultando na universalização dos serviços, demonstra sua preocupação com o desenvolvimento do município, saúde da população, dos corpos d´água e da preservação ambiental”, comenta Alexandre Lopes.

    Segundo o Instituto Trata Brasil, no estado do Pará mais de 4,0 milhões de pessoas não têm acesso a rede de água, o que equivale a 54% da população e mais de 8 milhões não tem seus esgotos coletados, cerca de 93% dos cidadãos. Nos últimos 10 anos foram registradas 400 mil internações por doenças de veiculação hídrica. São necessários R$ 2,1 bilhões para universalizar os serviços de água e esgoto no estado em 20 anos. As regiões norte e nordeste do Brasil são as que apresentam os maiores índices de afastamento do trabalho causadas por doenças gastrointestinais infecciosas.

    São jogadas diariamente em nosso país, cerca de 5 mil piscinas de esgotos na natureza, dados do Trata Brasil, o que contribui ainda mais para a proliferação dessas e outras doenças, sem considerar a degradação ambiental e atraso no desenvolvimento econômico.

    Doze municípios do Para são atendidos pela iniciativa privada em saneamento, com R$ 520 milhões de investimentos comprometidos nessas cidades, beneficiando mais de 240 mil pessoas. Estes números foram coletados Sistema de Informações do Segmento Privado do Setor Saneamento (SPRIS) e demonstram que o aumento das parcerias público privadas é o caminho para a ampliação dos investimentos e para o avanço do acesso aos serviços de saneamento básico.

    Comunicação, Engajamento e Imprensa:
    Ana Rizzo
    ana@anarizzo.com
    19 9 96674700

    Compartilhe:
    Translate »