ÁREA DO ASSOCIADO

  • Login
  • Projeto de implantação da ETE Camanducaia avança mais uma fase

    03/06/2019

    A instalação do sistema de tratamento compacto confere maior agilidade e praticidade

    A construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Camanducaia teve mais um grande avanço essa semana. A Águas de Holambra recebeu e já está trabalhando na fixação e nivelamento dos módulos da unidade compacta, que vai tratar o esgoto do bairro Camanducaia.

    Além da estação elevatória, o sistema é composto por quatro módulos (sendo dois reatores, decantador e tanque desinfecção), com capacidade de tratamento de 200 metros cúbicos por dia, podendo ser ampliado, por se tratar de um formato modular. O diferencial e os benefícios deste modelo de unidade, estão atrelados à facilidade de instalação e ao pouco uso de espaço físico, preservando o meio ambiente ao entorno da obra.

    A nova estação opera por meio da rotação lenta dos discos nos módulos reatores, produzindo o oxigênio necessário para que as bactérias realizem o tratamento por meio da degradação da matéria orgânica do efluente. Esses dispositivos, quando estão em operação, ficam com 40% da área total submersa no efluente, enquanto os 60% restantes expostos à atmosfera. O sistema de rotação é acionado por motor elétrico de alta eficiência, fazendo com que essa tecnologia consuma até 60% menos energia que outros métodos convencionais de lodos ativados, processo que exige a utilização contínua de ar, fornecido por sopradores ou aeradores.

    Segundo o coordenador de Engenharia e Operações, Alan Pedra, a implantação destes módulos significa um importante passo para o projeto. “Ao planejarmos o projeto, buscamos uma tecnologia diferenciada, que além de garantir a eficiência do tratamento, possibilite uma agilidade no processo de implantação. Neste sentido, a concepção da unidade compacta consegue suprir todos esses requisitos e tem nos permitido cumprir os prazos estipulados para essa intervenção”, destaca o coordenador. Após a conclusão da etapa de instalação dos equipamentos da estação compacta, o projeto entra na fase de urbanização e adequações finais.

    Sobre a ETE Camanducaia

    Com capacidade para tratar 200m³ de efluentes por dia e atender a demanda das 80 chácaras que compõem a região do Camanducaia, a nova estação de tratamento de esgoto vai operar por meio de reator biológico de contato, conhecido como biodisco. O modelo, proveniente de tecnologia holandesa, funciona através da rotação de discos que geram o oxigênio necessário para que as bactérias realizem o tratamento e façam a conversão da matéria orgânica, sendo um sistema flexível e expansível.

    Créditos: Assessoria de Comunicação / Divulgação

    Compartilhe:
    Translate »