ÁREA DO ASSOCIADO

  • Login
  • PT, PSDB e Rede defendem participação da iniciativa privada nas soluções para o saneamento básico

    08/08/2018

    O 7° Encontro Nacional das Águas (ENA) começou, na tarde da terça-feira, dia 7, com o painel de abertura (“#SOMOSMAISSANEAMENTO nas Eleições 2018). PT, PSDB e Rede mostraram que os programas de governo de seus candidatos à Presidência não apenas colocarão as questões do saneamento entre as prioridades, como também contarão com a parceria da iniciativa privada para as ações e soluções necessárias para o avanço dos tratamentos de água e de esgoto no país.

    Painel com representantes dos partidos para seus programas de governo teve mediação do jornalista Ricardo Boechat e abriu o 7º ENA na tarde de quarta-feira, 07.08.

    Com a mediação do jornalista Ricardo Boechat, os representantes dos programas de governo do PT (Miriam Belchior), do PSDB (Jerson Kelman) e da REDE (João Paulo Capobianco) debateram o saneamento a fundo, durante as mais de duas horas de duração do painel.

    Para Jerson Kelman (PSDB), a iniciativa privada precisa ser cada vez mais inserida no saneamento, “muito além do que verificamos hoje em dia”. Kelman destacou o potencial das empresas privadas em relação aos investimentos necessários, “como principalmente para também ajudar a aperfeiçoar modelos de gestão”. Segundo ele, “a MP 844/2018 é um passo nessa direção”.

    Para Jerson Kelman (PSDB), a iniciativa privada precisa ser cada vez mais inserida no saneamento, “muito além do que verificamos hoje em dia”.

    Além disso, o representante do programa de governo do PSDB afirmou ser favorável aos subsídios para reduzir o valor das contas a serem pagas pela população mais carente e uso de recursos públicos em obras de saneamento que atendam a coletividade como um todo (“e não apenas uma parcela de beneficiados”).

    João Paulo Capobianco (REDE) defende que o Governo Federal apoie de fato os prefeitos para “acabar com as postergações dos planos municipais para a área e para que também assumam uma postura mais enfática e clara em relação ao saneamento.

    Capobianco (Rede) defende que o Governo Federal apoie de fato os prefeitos para “acabar com as postergações dos planos municipais para a área e para que também assumam uma postura mais enfática e clara em relação ao saneamento”, avaliou. “É preciso que os municípios sejam capacitados para tratar o tema como prioridade e assim assumam compromissos firmes, inclusive para criar o ambiente favorável para parcerias com a iniciativa privada”.

    Miriam Belchior (PT) entende que há necessidade urgente de aumento de investimentos em infraestrutura e isso “inclui as questões do saneamento”. Diante da escassez de recursos públicos, “cresce a importância da participação privada.

    Miriam Belchior (PT) entende que há necessidade urgente de aumento de investimentos em infraestrutura e isso “inclui as questões do saneamento”. Diante da escassez de recursos públicos, “cresce a importância da participação privada” e, por isso, os cuidados referentes às regulamentações para que isso aconteça são fundamentais. “Ajustes na lei do saneamento serão importantes para que as soluções possam vir em ritmo mais acelerado”, afirmou. “A MP 844/2018 não traz elementos suficientes para gerar plena confiança para as empresas privadas e, além disso, seria muito melhor que o tema tivesse respaldo de projeto de lei, em vez de MP”, completou.

    Paralelamente, Miriam Belchior ainda lembrou outro aspecto importante, que é a questão da gestão dos recursos hídricos. “Cuidar das bacias hidrográficas também se insere no contexto mais amplo de saneamento básico, na medida em que precisamos ter água”.

    ABCON e SINDCON

    Na abertura do painel “#SOMOSMAISSANEAMENTO nas Eleições 2018”, Alexandre Lopes, presidentes do SINDCON, destacou que o momento é crucial para que a área do saneamento seja debatida. “Faltam apenas dois meses para as eleições e, no geral, os números, índices e estatísticas referentes ao saneamento seguem ruins”, afirmou.

    Na abertura do painel “#SOMOSMAISSANEAMENTO nas Eleições 2018”, Alexandre Lopes, presidente do SINDCON, destacou que o momento é crucial para que a área do saneamento seja debatida.

    Lopes lembrou que no 8° Fórum Mundial da Água, realizado recentemente em Brasília (DF), foi gerada a campanha #SOMOSMAISSANEAMENTO, “para engajar a sociedade ao tema, e que também gerou nossa carta de demandas a ser entregue a todos os candidatos à Presidência”. O presidente do SINDCON acrescentou que o saneamento básico “é um direito humano e o Brasil tem compromisso com a área, firmado nas metas do Plansab.”

    Compartilhe:
    Translate »