ÁREA DO ASSOCIADO

  • Login
  • Rede Brasil do Pacto Global e BRK Ambiental lançam vídeo sobre os impactos do saneamento básico

    16/09/2019

    Curta-metragem conta histórias de famílias que tiveram as vidas transformadas com a chegada da água tratada e esgotamento sanitário

    Em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global, a BRK Ambiental, maior empresa privada de saneamento básico do país, com atuação em Cachoeiro de Itapemirim e em mais de 180 cidades, apoia a campanha “O Futuro que a Gente Quer”. A iniciativa reúne curtas-metragens sobre o impacto dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Organizações das Nações Unidas (ONU) na vida das pessoas e reforça a importância do setor privado, ao contribuir com a melhoria da qualidade de vida por meio de produtos e serviços.

    O segundo curta-metragem da série aborda o ODS 6 (água e saneamento) e apresenta a história de duas famílias que remodelaram suas vidas com a chegada da água tratada e esgotamento sanitário em suas casas, uma na região metropolitana do Recife e outra no sertão do Pernambuco. Entre as personagens, está a diarista Ana Paula Oliveira, que diz se considerar uma pessoa rica por ter um banheiro com descarga em casa.

    O curta-metragem conta também com a participação da CEO da BRK Ambiental, Teresa Vernaglia. A executiva reforça a importância da universalização dos serviços de água e esgoto, o que poderia tirar 635 mil brasileiras da pobreza.

    “As histórias das personagens estão diretamente relacionadas aos dados que apresentamos na pesquisa Mulheres e Saneamento, realizado em parceria com o Instituto Trata Brasil. Hoje, 27 milhões de brasileiras não têm acesso adequado a água tratada, coleta e tratamento de esgoto, ou seja, uma em cada quatro mulheres se encontram nesta situação”, reforça Teresa Vernaglia, da BRK Ambiental.

    A análise feita pela BRK Ambiental reforça ainda que 1,5 milhão de brasileiras não tem banheiro em casa. Por conta disso, a renda dessas mulheres é 73% menor em comparação às demais trabalhadoras. Geralmente, elas precisam se afastar mais do trabalho por adoecerem ou pela necessidade de cuidar das enfermidades da família causadas pela falta de saneamento básico. O acesso aos serviços de água e esgoto possibilitariam um acréscimo de R$ 321,00 em média, à renda anual de cada uma dessas brasileiras, mais de R$ 12 bilhões ao ano à economia do país.

    O curta-metragem está disponível nas redes sociais da BRK Ambiental e noYouTube da Rede Brasil do Pacto Global e foi produzido pela agência Social Docs.

    BRK Ambiental em Cachoeiro de Itapemirim

    Um dos pioneiros no Brasil a recorrer à iniciativa privada para operar os serviços de saneamento básico, o município de Cachoeiro de Itapemirim tem apresentado resultados expressivos no setor, a ponto de se tornar uma das referências nacionais quando o assunto é saneamento. No início da concessão, em 1998, Cachoeiro tinha menos de 5% do esgoto tratado. Hoje, são tratados por dia mais de 21 milhões de litros de esgoto, pelas 11 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) da BRK Ambiental. Sem o tratamento, esse montante iria “in natura” para o Rio Itapemirim.

    Passados 21 anos, na área urbana, mais de 98% dos esgotos são coletados e tratados e 99% da população é abastecida com água de qualidade. A cidade ainda possui um dos menores índices de perdas físicas com vazamentos do País, que passaram de 56% para 13,51%.

    No desafio de universalizar os serviços de saneamento, a BRK Ambiental está com um novo ciclo de investimentos (2018-2022) em andamento. Ao todo, serão empregados mais R$ 30 milhões na modernização e ampliação do Sistema de Abastecimento de Água e do Sistema de Esgotamento Sanitário, distribuídos em todos os bairros e distritos do município.

    Compartilhe:
    Translate »