ÁREA DO ASSOCIADO

  • Login
  • Edição 05

    ANO III - ABR A JUL/2016

    /

    Editorial

    Cidades Saneadas: um desafio possível

    em 10 de Abril de 2016

    CARLOS ROMA
    Diretor de Relações Institucionais e Corporativas do SINDCON

    Entre os dias 12 e 13 de abril, ocorreu no hotel Holliday Inn, em São Paulo, o 6º Encontro Nacional das Águas (ENA), que é realizado a cada dois anos pela ABCON/SINDCON para debater os principais assuntos da agenda de saneamento no Brasil. Neste ano, o evento ocorreu simultaneamente com a 1ª Pollutec Brasil, feira de Produtos e Soluções Ambientais.

    Durante os três dias de encontro, mais de 550 participantes puderam discutir desde temas institucionais, referentes ao posicionamento da iniciativa privada como importante agente do setor de saneamento, às temáticas técnicas do universo da engenharia e das operações vivenciadas entre as mais de cem entidades afiliadas à ABCON/SINDCON.

    Já no primeiro dia de evento, o painel de abertura lançou aos participantes o que viria a ser o mote orientador das discussões: “Cidades Saneadas: Uma realidade ao alcance do Brasil?”. Foi a partir desse questionamento que propostas para ampliação de investimentos no saneamento foram discutidas por autoridades públicas e representantes das mais importantes associações do setor.

    Estiveram presentes Paulo Ferreira, Secretário Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades; Roberto Muniz, Presidente Executivo da ABCON; Dante Ragazzi Pauli, Presidente da ABES; Roberto Tavares, Presidente da AESBE e Aparecido Hojaij, Presidente da ASSEMAE.

    Segundo o Secretário Nacional de Saneamento, Paulo Ferreira, das 25 companhias estaduais do país, somente seis apresentam condições de receber financiamento público, um desafio importante a considerar, visto que as estaduais são responsáveis pelo atendimento de cerca de 75% da população. Ainda no âmbito do financiamento ao setor, representantes do BNDES versaram sobre os diversos projetos que o banco tem financiado no setor, destacando a maturidade que as empresas privadas têm demonstrado para a liberação de créditos de longo prazo, com taxas que permitem o cumprimento das metas estipuladas nos contratos.

    Outro ponto alto do evento, apresentado pela AQUAFED – International Federation of Private Waters Operators -, abrigou as ex- CARLOS ROMA Diretor de Relações Institucionais e Corporativas do SINDCON Cidades Saneadas: um desafio possível periências internacionais do setor, indicando os bons exemplos da participação da iniciativa privada Brasil afora que devem contribuir para as operações nacionais.

    Hoje, no País, as empresas privadas são responsáveis por administrar contratos da ordem de R$ 30,5 bilhões, em torno de 8,7% do mercado. No entanto, há espaço para muito mais, a considerar que o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab) sugere investimentos da ordem de R$ 15,2 bilhões ao ano, para a universalização dos serviços de saneamento até 2033.

    Por meio dos cases de sucesso da iniciativa privada, situados nos mais diferentes tipos e tamanhos de municípios, o 6º Encontro Nacional das Águas reforçou que as parcerias entre agentes públicos e privados são alternativas viáveis para acelerar os investimentos.

    Todas as experiências compartilhadas entre as diversas empresas do setor garantiram o sucesso de mais um encontro. Novas experiências serão compartilhadas daqui a dois anos. Até lá, trabalharemos fortemente para aprimorar o cenário do saneamento no Brasil.

    Compartilhe:
    Translate »