ÁREA DO ASSOCIADO

  • Conectar-se
  • Edição 06

    ANO III - AGO A NOV/2016

    /

    Capa

    História de compromisso com o saneamento

    em 09 de Agosto de 2016

    Paulo Roberto Oliveira, Presidente GS Inima Brasil

    Foi em clima de festa e união que o SINDCON e a ABCON deram início às comemorações de seus aniversários. Este ano, o SINDCON chega aos 15 anos, e a ABCON, fundada em 1996, celebra duas décadas de atuação.

    A dupla celebração começou com uma homenagem aos ex-presidentes das entidades, realizada durante o lançamento do anuário Panorama da Participação Privada no Saneamento, em São Paulo.

    Alceu Segamarchi Jr., Secretário Nacional do Saneamento

    E foi durante a apresentação do Panorama, que contou com a presença de mais de 100 pessoas, que tivemos uma clara percepção do quanto o segmento representado pela iniciativa privada no saneamento é importante.

    O evento reuniu associados, empresários e executivos do setor, além do Secretário Nacional de Saneamento, Alceu Segamarchi Jr; do prefeito de Araçatuba, Carlos Hernandes, e também dirigentes dos bancos de fomento e parceiros.

    Com quase 100 páginas, o Panorama causou grande impacto no público presente, na imprensa, nas concessionárias e no setor em geral. Segundo a publicação, a iniciativa privada no saneamento atende hoje a 5% dos municípios brasileiros (316 cidades). A população beneficiada direta ou indiretamente pelas concessionárias privadas é de 31,1 milhões de pessoas. São 258 contratos, e 73% dos municípios atendidos são de pequeno porte.

    Alexandre Lopes, Presidente do SINDCON

    O investimento total contratado por essas operações é de R$ 33,18 bilhões, dos quais R$ 12,57 bilhões estão previstos para serem aplicados até 2019. Apesar de atender direta ou indiretamente apenas 15% da população, a iniciativa privada já é responsável por 20% dos investimentos anuais no saneamento. Em 2014, as concessionárias privadas investiram R$ 2,5 bilhões, enquanto o investimento total do setor foi de R$ 12,2 bilhões, de acordo com o SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre o Saneamento).

    São números que crescem a cada ano e mostram que o trabalho das concessionárias privadas se torna cada vez mais essencial para a evolução do saneamento no país.

    Números que fazem parte de uma trajetória de compromisso pelo saneamento para todos.

    E é um pouco dessa história que apresentamos a seguir.

    Éramos 11

     

    Ao ser criada em 1996, a ABCON possuía 11 associados. “Cabíamos numa Kombi”, brinca o primeiro presidente da entidade, Marco Antonio Botter.

    Hoje, a ABCON e o SINDCON possuem 120 empresas associadas e um histórico de luta em prol do fortalecimento da presença da iniciativa privada no saneamento. Daquele início até aqui, houve uma grande movimentação no setor, e a ABCON sempre batalhou para legitimar a participação da iniciativa privada na prestação de serviços de água e esgoto, assumindo posição em defesa da cooperação e do ambiente propício à ampliação de investimentos, o que beneficia a toda a população brasileira.

    Em 2001, com a criação do SINDCON, o segmento privado ganhou maior capacidade para fomentar a alta performance, a evolução tecnológica e a qualidade de gestão dos serviços entre as concessionárias privadas.

    Um filme, preparado especialmente para o lançamento do Panorama, reuniu os principais momentos da ABCON e SINDCON, seus compromissos, suas bandeiras, suas conquistas.

    Presidentes, ex-presidentes e diretores das duas entidades se reúnem para um registro da data comemorativa

     

    CONHEÇA ALGUNS DESSES MOMENTOS HISTÓRICOS:

     

    Fóruns do saneamento: a ABCON participa, desde a sua criação, dos grandes fóruns de discussão sobre saneamento, tais como o Conselho das Cidades, o Conselho Nacional de Recursos Hídricos e demais comissões no âmbito federal, além de conselhos estaduais, comitês de bacia, órgãos de defesa do meio ambiente, entre outros.

    Plansab: a ABCON participou ativamente da construção do Plansab – Plano Nacional de Saneamento Básico, levando contribuições importantes para a elaboração do documento que determina as diretrizes do setor para os próximos 20 anos.

    Lei do Saneamento: outra atuação fundamental foi realizada durante a elaboração dos projetos que resultaram na Lei 11.447, em 2007, a chamada Lei do Saneamento, marco regulatório para a atividade da iniciativa privada dedicada ao setor. Um trabalho que durou uma década, de 1997 até a publicação da legislação.

    ENA: promovido pelo SINDCON, o Encontro Nacional das Águas já conta seis edições e se tornou um grande fórum de discussão de alternativas para o avanço do saneamento. Em 2016, recebeu centenas de inscrições e proporcionou, de um lado, o debate sobre o futuro do setor e, de outro, a capacitação dos profissionais que atuam nas concessionárias privadas.

    Prêmio Sustentabilidade: iniciativa do SINDCON dedicada à visibilidade e ao reconhecimento de seus associados e do segmento privado, que, a cada dois anos, distingue iniciativas profissionais voltadas para o saneamento.

    Pesquisas e banco de dados: articulados com o SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), a ABCON e o SINDCON publicam anualmente o SPRIS (Sistema de Informações do Segmento Privado do Setor de Saneamento), com o qual atualizam permanentemente seus bancos de dados sobre o desempenho das concessionárias privadas. O SPRIS integra a publicação anual Panorama da Participação Privada no Saneamento, que é hoje uma referência de informação sobre nossa atividade, incluindo a relação atualizada de todos os contratos de concessões do segmento vigentes no país.

    Comitês Temáticos: fóruns internos de discussão e intercâmbio de experiências, os comitês funcionam no âmbito da ABCON e SINDCON, elaborando pesquisas, e permanentes debates técnicos.

     

    E o futuro?

    Como membro da seção Brasil do Conselho Mundial da Água, a ABCON está envolvida com a preparação do próximo Fórum Mundial da Água – Rumo a Brasília 2018, evento internacional de grande importância para o setor, que será realizado pela primeira vez no Hemisfério Sul.

    A ABCON também é filiada à Aquafed – International Federation of Private Water Operators, que reúne entidades e companhias privadas de saneamento de todo o mundo. Além disso, as entidades brasileiras promovem acordos de cooperação e intercâmbio técnico paralelos com associações de saneamento de outros países, como os já firmados com Portugal, Colômbia e África do Sul.

    Compartilhe: