ÁREA DO ASSOCIADO

  • Login
  • Edição 11

    ANO IV - ABR A JUL/2018

    /

    Tecnologia

    Sacada de mestre

    EM 27 de Abril de 2004

    Startup utiliza inteligência artificial para detectar vazamentos de água

    Marília e Antonio, os idealizadores do sistema

    Um método mais eficaz na detecção de vazamento de água na rede urbana. Essa é a proposta do Fluid, um sistema de detecção automática de vazamentos em ramais. A solução consiste em um coletor móvel com uma haste – esteticamente semelhante a um microfone –, que, ao ser encostada a um hidrômetro, grava em tempo real toda vibração da água passando pelo encanamento, isolando outros ruídos externos que poderiam interferir na detecção. Ao reconhecer um vazamento, o aparelho emite um som específico, facilitando a captação pelos técnicos.

    A ideia da ferramenta é do casal Marília Lara e Antônio Oliveira, que se conheceram no ambiente acadêmico, se casaram, tiveram dois filhos e há dois anos resolveram criar a startup Stattus4. Ambos trabalhavam em uma empresa de desenvolvimento de projetos e montagem de placas eletrônicas, quando receberam a proposta de um cliente para desenvolver um geofone (aparelho utilizado para detectar vazamentos de água) muito específico.

    Inicialmente, o projeto desenvolvido por Antonio era semelhante aos já existentes no mercado. O grande diferencial surgiu na fase de testes do aparelho. O engenheiro percebeu que, além dos diversos sons que são produzidos na tubulação, os barulhos externos (trânsito, vozes, cachorros, etc.) também atrapalhavam os técnicos na hora de reconhecer o sonido correto. “Pensei que se desenvolvesse uma espécie de ouvido biônico faria essa detecção com mais precisão, e assim dei o primeiro passo”, conta Antônio.

    Com a ajuda do equipamento idealizado por Antônio, técnicos com ouvido treinado inspecionam com rapidez os hidrômetros da rede de abastecimento. Além de captar o ruído do vazamento, o sistema também o avalia. O aparelho possui sensores que mapeiam os vazamentos e enviam os dados para um software, permitindo aos técnicos se dirigirem diretamente às ruas indicadas.

    “O mais importante na análise é perceber que nem todos os sons indicam vazamento. Alguns se referem somente a problemas no hidrômetro. Nosso aperfeiçoamento deu mais precisão ao trabalho dos geofonistas”, completa Marília.

    Em seis meses de operação do sistema, a Stattus4 já obteve resultados de sucesso. Em Santa Barbara d’Oeste, interior de São Paulo, o Fluid detectou dois vazamentos de água em um ponto onde, da maneira tradicional, só havia sido detectado um. Com isso, a perda d’água na região diminuiu de 41% para 18%. A startup tornou-se internacionalmente reconhecida, ao conquistar o terceiro lugar no Prêmio Internacional BID-FEMSA 2017.

    Compartilhe:
    Translate »