ÁREA DO ASSOCIADO

  • Login
  • Edição 11

    ANO IV - ABR A JUL/2018

    /

    Capa

    Um toque feminino na direção

    EM 27 de Abril de 2004

    Reginalva Santana Mureb, presidente das concessionárias Serra Ambiental e Vila Velha Ambiental

    Presidente das concessionárias Serra Ambiental e Vila Velha Ambiental defende os benefícios da maior presença das mulheres no setor

    Acostumada a ter o reconhecimento profissional – e também a estima da equipe – por onde passa, Reginalva Santana Mureb está às voltas com um novo desafio. Hoje, ela é a presidente das concessionárias Serra Ambiental e Vila Velha Ambiental, no Espírito Santo. Nessa condição, tornou-se a única mulher a ocupar cargo de presidência no grupo Aegea, num sinal de que a presença feminina começa a ganhar corpo também na alta direção das empresas privadas que atuam no setor.

    Houve um tempo, porém, que a figura de uma “presidenta” nem sequer seria cogitada. Reginalva considera que esse avanço está acontecendo gradativamente, e que ainda há um longo caminho a percorrer para que tenhamos mais mulheres em cargos de direção. “Acredito que todos ganham com a diversidade, isso é extremamente positivo”, completa.

    Ela relata que nunca sofreu barreiras. Admite, no entanto, que a competitividade é grande. Resultados são a exigência maior, independente de o executivo ser homem ou mulher. “O que importa, hoje, é que o profissional seja considerado apto a exercer o cargo. Temos gente competente tanto entre os homens, quanto entre as mulheres”, avalia.

    No SINDCON, Reginalva atuou ativamente em dois períodos como coordenadora de assuntos regulatórios. De formação na área jurídica, ela entrou no saneamento por essa porta, dedicando-se à regulação e também recursos humanos. “São especialidades muito ricas, que exigem uma visão estratégica e agregam bastante. Ter passado por elas foi importante para o meu desenvolvimento no setor”, afirma Reginalva. No momento, ela conclui mestrado sobre gestão de recursos hídricos, uma demanda crescente para quem atua no saneamento.

    A presidente das concessionárias capixabas concorda que há grande potencial para quem deseja atuar em concessionárias de serviços de água e esgoto. “Temos ainda muito a fazer, diante dos atuais números do setor”, acrescenta.

    Compartilhe:
    Translate »