O Painel de Monitoramento Econômico do Setor tem como objetivo fornecer um acompanhamento sistemático e direcionado das principais variáveis econômicas e sociais que afetam o setor de saneamento básico. O Painel está dividido em três seções: Conjuntura Econômica; Custos Operacionais e de Construção; e Indicadores Sociais.

 

Os dados são atualizados periodicamente, conforme a divulgação pelas instituições responsáveis.

 

1. Conjuntura Econômica

 

A sessão de Conjuntura Econômica agrupa as principais variáveis econômicas que afetam a demanda do setor e a disponibilidade de financiamento:

 

– Produto Interno Bruto (PIB): reflete a atividade econômica do País. (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE).

– Câmbio: afeta a viabilidade de financiamento em moeda estrangeira e os custos internos no País (Banco Central – Bacen).

– Taxa Selic e Taxa de Longo Prazo (TLP): taxas de juros de referência que tem influência sobre o custo de financiamento em instituições financeiras nacionais. (Bacen e Banco Nacional do Desenvolvimento – BNDES).

– Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M) e Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA): índices gerais de preços da economia que representam de forma agregada as tendências inflacionárias (Fundação Getúlio Vargas: Instituto Brasileiro de Economia – FGV IBRE e IBGE).

– Variação da demanda dos setores de infraestrutura frente ao PIB: demonstra a inelasticidade renda da demanda do setor de saneamento (ABCON SINDCON e UBS).

 

 

2. Custos Operacionais e de Construção

 

A sessão de Custos Operacionais e de Construção reúne os principais índices que medem o custo dos insumos mais utilizados na operação e nos investimentos do setor.

 

– Tarifa de energia elétrica para o setor no mercado livre e regulado: mostra a evolução e variação da tarifa e do preço da energia elétrica para as concessionárias (Agência Nacional de Energia Elétrica e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica).

– Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI) – geral e por estágios: índice que mede a variação nos preços gerais da construção civil, insumos e mão de obra, entre outros (FGV: IBRE).

– Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) – produtos químicos e máquinas e equipamentos: índice que mede a variação dos preços dos insumos químicos e de máquinas e equipamentos nas vendas por atacado (FGV: IBRE).

– Nível dos Reservatórios do Sistema Cantareira e Nordeste (Agência Nacional de Águas e Saneamento — ANA).

 

 

3. Indicadores Sociais

 

Esse painel tem como finalidade apresentar o desenvolvimento, a viabilidade e a capacidade de pagamento da população, nos diferentes Estados brasileiros.

 

– Desemprego: reflete na capacidade de pagamento da população (IBGE).

– Renda média: diretamente relacionada à capacidade de pagamento da população (IBGE).

– Cadastro Único: auxilia na análise da dimensão da população apta a receber a tarifa social e que possui renda inferior a meio salário-mínimo (CECAD).

– Orçamento destinado aos gastos com água e esgoto: influencia a receita prevista da concessionária (IBGE).

 

 

 

Além da renda média estadual, a proporção da população cadastrada no Cadastro Único indica a quantidade de pessoas que podem estar aptas para o enquadramento da tarifa social e que tem renda familiar mensal per capita mensal inferior a meio salário-mínimo, o que afeta diretamente a capacidade de pagamento da população.

 

Os painéis tem caráter consultivo apenas e a reprodução dos dados não está autorizada.