Além das belas paisagens que servem de refúgio para moradores e turistas, a Lagoa de Araruama, a maior laguna hipersalina do mundo, localizada no estado do Rio de Janeiro, recebeu nesta temporada de verão a  Bandeira Azul. Esta certificação faz parte de um programa internacional de avaliação ambiental de praias elaborado pela ONG dinamarquesa Foundation For Environmental Education (FEE).

O selo foi aprovado para duas praias lagunares: Ubás, em Iguaba Grande, e Pedras de Sapiatiba, em São Pedro da Aldeia, ambas localizadas na Região dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro. Outras praias da Região dos Lagos também receberam a certificação para a temporada 2023/2024, como as Praias do Forno e Azeda Azedinha, em Búzios, e Praia do Peró, em Cabo Frio, que irá hastear a Bandeira Azul pelo sexto ano consecutivo. Entre as ações para se adequar aos critérios exigidos pela certificação, estão a coleta e análise da qualidade da água das praias, que são realizadas com o apoio da Prolagos, concessionária responsável pela distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto das cidades de Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia.

“Ter uma água com qualidade é um dos itens mais importantes para a certificação e o saneamento básico é fundamental para que isto aconteça. Mas para que pudéssemos celebrar 5 praias com o selo na nossa área de atuação, foi necessário muito trabalho e investimento. Quando assumimos a concessão, não havia coleta e tratamento de esgoto. Em 25 anos, conseguimos construir um cinturão que hoje protege praias lagunares e oceânicas e alcançamos a marca de 80% do esgoto coletado na região. A conquista desse selo traz um desafio ainda maior para nós da concessionária que diariamente apoiamos nessa continuidade e evolução dos altos padrões de qualidade ambiental”, comenta Pedro Freitas, diretor-presidente da Prolagos.

Além das ações com foco em gestão e infraestrutura, as iniciativas de educação ambiental fazem parte do calendário das praias que conquistam a certificação internacional, envolvendo moradores, empresários locais e turistas no tema e incentivando o respeito à natureza.

“A educação ambiental é a ferramenta para que a sociedade se una em prol de uma causa comum. Não basta a vontade do poder público, ou da sociedade civil isoladamente, ambas precisam andar juntas. Estas ações têm o objetivo de incentivar o conhecimento e respeito por esses ecossistemas por parte das pessoas que visitam e trabalham nessas praias”, explica Paloma Arias, consultora do Bandeira Azul.

Na próxima temporada, além dos locais que conquistaram o selo neste ano, mais um município irá concorrer: Arraial do Cabo, com as praias Caiçara e da Ponta da Acaíra. Esse é mais um exemplo do impacto positivo promovido pelos investimentos em saneamento.