Por Rafael Castilho

Sem capacitação, o “novo saneamento” será um carro esportivo sem pneus.

Imagine-se em um carro esportivo de luxo. Você pode não ser apaixonado por carros, mas faça esse exercício por um instante. Você confere seu design inovador, testa todos seus opcionais. Dá partida no veículo e se encanta com o som do motor e todos seus cavalos de potência. Sente vontade de botar o pé na estrada e fazer um lindo passeio. Logo em seguida, você se dá conta que o carro está sem pneus. Logo se dá conta que, sem os pneus, esse carro é apenas uma peça de decoração, não lhe serve de nada.

Pense agora no “novo saneamento”. Nos novos negócios, na chegada de novos atores nesse setor. No desenvolvimento da infraestrutura, nas obras espalhadas por todo país. Nos empregos que podem ser gerados. Imagine esse país aumentando a cobertura de saneamento. Localidades que hoje vivem sem o mínimo de condições sanitárias sendo beneficiadas. Esgoto coletado, as novas estações de tratamento. Rios sendo despoluídos. A diminuição de perdas e a responsabilidade hídrica sendo uma preocupação nacional.

Pense na melhoria da qualidade de vida da população e seus reflexos na saúde. Num ambiente regulatório amadurecido, garantindo melhor prestação dos serviços públicos a cada dia. No benefício que o “novo saneamento” pode gerar às cidades brasileiras. Pense em bons contratos que garantam a eficiência e a transparência na prestação dos serviços.

Agora pense em tudo isso sem profissionais do saneamento capacitados, sejam eles nas empresas públicas e privadas, nas agências reguladoras, nos municípios, nos órgãos de controle. Pense que poderemos perder mais uma oportunidade histórica para dar o salto que o Brasil precisa no saneamento.

Sem capacitação, o “novo saneamento” será um carro esportivo sem pneus.

O MBA Saneamento é uma parceria com a ABCON SINDCON: associados têm um desconto exclusivo para a realização do curso.

Rafael Castilho é sociólogo e coordenador administrativo do MBA Saneamento Ambiental (FESPSP). A 4ª turma de alunos terá a volta das atividades presenciais, com oficinas temáticas, workshops e seminários. O módulo internacional será no campus da University College London.